No princípio era a palavra, mas a palavra foi traduzida para os sinais

Emerson Cristian Pereira dos Santos

Resumo


Além do que é considerado sacro pelas religiões judaico-cristãs, a Bíblia também está repleta de poesia, e sua tradução para a Libras pode nos ajudar a compreender de que maneira se constituem os repertórios de tradução no polissistema literário da cultura surda brasileira. Neste artigo, trago reflexões sobre a relação entre ideologia, tradução e literatura na formação de repertórios literários da cultura surda, a partir da tradução da Bíblia.


Palavras-chave


Bíblia; Libras; Literatura surda; Repertórios literários

Texto completo:

PDF

Referências


BASSNETT, S. Translation: the new critical idiom. London and New York: Routledge, 2014

BÍBLIA. Português. Bíblia de referências Thompson. Edição Contemporânea. Tradução de João Ferreira de Almeida. Brasília: Sociedade Bíblica do Brasil, (?).

BÍBLIA. Bíblia Sagrada Edição Pastoral. São Paulo: Pia Sociedade de São Paulo – PAULUS, 2002.

BÍBLIA. Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada. Estados Unidos: Associação Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, 2015.

CAMPOS, H. Bere’shith: a cena da origem. São Paulo: Perspectiva, 2000.

CAMPOS, H. Metalinguagem e outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. São Paulo: Perspectiva, 1992.

CAMPOS, H. Qohélet: O-que-sabe. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

DECAUNES, L. Introduction In Le Poème en prose – Anthologie. Paris: Seghers. 1984.

EVEN-ZOHAR, I. Papers in Historical Poetics. Tel Aviv: Porter Institute, 1978.

EVEN-ZOHAR, I. Polysystem Theory. In: ______. Polysystem studies. Durham NC: Duke University Press, 1990.

EVEN-ZOHAR, I. The Nature and Functionalization of the Language of the Literature under Diglossia. Tel Aviv: Hasifrut, 1970.

GRICE, H.P. Logic and Conversation. In: COLE, P; MORGAN, J. (eds). Syntax and Semantics, vol. 3: Speech acts. p. 41-58. New York: Academic Press, 1975.

LAMBERT, J. A tradução. Tradução de Marie-Hélène Catherine Torres e Álvaro Faleiros. In: COSTA, W.; GUERINI, A.; TORRES, M.H.C.(Org.). Literatura e tradução. Textos selecionados de José Lambert. Rio de Janeiro: 7 letras, 2011.

LEFEVERE, A. Translation/History/Culture: A Sourcebook. London: Routledge, 1992.

LUTERO, M. Carta aberta sobre a tradução. Tradução de Mauri Furlan. In: HEIDERMANN, W. (ed.). Clássicos da Teoria da Tradução. Vol. 2. Alemão – Português. Florianópolis: UFSC / Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução, 2010, p. 95-115.

PERLIN, G. O lugar da cultura surda. In: THOMA, A.S.; LOPES, M. C. (Orgs.). A invenção da surdez: cultura, alteridade, identidade e diferença no campo da educação. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004.

PERLIN, G. O ser e o estar sendo surdos: alteridade, diferença e identidade. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, 2003. Disponível em:< http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/5880/000521539.pdf>

Acesso em: 18 nov. 2017.

QUINTANA, M. Canções seguido de Sapato florido e a Rua dos cataventos. Recurso eletrônico. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

SPERBER, D.; WILSON, D. Outline of relevance theory. In: Links & Letters 1. p. 85-106, 1994. Disponível em: Acesso em: 19 nov. 2017.

SPERBER, D.; WILSON, D. Teoria da relevância. In: ______. Linguagem em (Dis)curso - LemD, Tubarão, v. 5, n. esp., p. 221-268, 2005. Disponível em:< http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/287/30>Acesso em: 19 nov. 2017.

STRÖBEL, Karin. As imagens do outro sobre a cultura surda. 3. ed. Florianópolis: Editora UFSC, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n3p93



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.